Pesquisa Avançada

R$ 100.000 para R$ 2.500.000

Mais Opções de Pesquisa
Nós encontramos 0 resultados. Ver resultados
Pesquisa Avançada

R$ 100.000 para R$ 2.500.000

Mais Opções de Pesquisa
nós encontramos 0 resultados
Os resultados da sua pesquisa

De 60 obras em Rio Preto, 27 autuadas por barulho excessivo

Publicado por Imóveis de Rio Preto em 13 de Fevereiro de 2015
| 0

De acordo com OMS, acima de 70 decibéis, ruídos podem trazer prejuízos. Responsabilidade de fiscalizar é da prefeitura.

De 60 obras em Rio Preto, 27 autuadas por barulho excessivo

Com o crescimento de São José do Rio Preto (SP), há imóveis em construção por toda a cidade. Esse desenvolvimento é muito positivo, mas também traz alguns transtornos à população. Alguns canteiros de obras desrespeitam a lei. Os vizinhos sofrem com a sujeira e com o barulho, às vezes acima do permitido.

Há uma lei em Rio Preto que proíbe a movimentação nas obras das 22h às 7h. Atualmente, a cidade tem mais de 60 grandes construções e 27 delas já foram autuadas por barulho excessivo. Mas o valor da multa, de R$ 214,95, acaba sendo irrisório, em relação à quantidade de dinheiro movimentada num empreendimento.

O dia ainda está clareando, quando a movimentação começa em uma obra em Rio Preto. Dezenas de funcionários trabalhando, máquinas ligadas, e muito barulho. Às 7h, no quarto de um apartamento próximo a uma obra, mesmo com a janela fechada, o barulho é extremamente alto. “É horrível, você está dormindo e é bate estaca, barulho de caminhão, realmente atrapalha muito o começo do dia”, afirma o empresário Sílvio Luiz Delgado.
De 60 obras em Rio Preto, 27 autuadas por barulho excessivo
De acordo com a OMS, Organização Mundial da Saúde, acima de 70 decibéis, os ruídos podem trazer prejuízos à audição. “Isso pode gerar um incômodo, não necessariamente vai gerar uma perda auditiva, mas sim pode gerar um desconforto grande e causar insônia, agitação. Isso é variável de pessoa para pessoa”, afirma o otorrinolaringologista Eduardo Yunes.

A responsabilidade de fiscalizar e fazer com que a lei seja cumprida é da prefeitura, mas o município alega que é necessário que o morador faça a denúncia. Na Avenida Romeu Strazzi, uma obra pública, que faz parte do projeto antienchente, é motivo de reclamação. “Às 7h começa a barulheira, é sábado, domingo, todo dia. O pessoal não está nem aí, caminhão para todo lado, muito barulho”, diz o corretor de imóveis João Roberto Silva. A prefeitura disse que a obra antienchente está em ritmo acelerado e que deve ser concluída em breve.

Fonte

Listas para Comparação